Suits: 1x07 "Play The Man" [Review]

24 de ago de 2011


1ª Exibição Original: 04/08/2011

Nunca pensei que encontraria uma série que preenchesse o vazio enquanto espero pela volta de Psych. Suits me dá aquele friozinha na barriga, você nunca sabe o que vai acontecer e fica pedindo para o tempo passar mais rápido. E Play the Man, na minha opinião, é o melhor episódio até agora.

O episódio dessa vez separou Mike (Patrick J. Adams) e Harvey  (Gabriel Macht) em duas situações diferentes, foram poucas as vezes que eles se interagiram, Harvey estav envolvido em um acordo de fusão entre seu cliente Debeque (Hal Ozsan) e Vega (Sterling Jarvis). Tudo parecia certo, ambos estavam se dando bem, então aparece a advogada de Vega, Dana Scott (Abigail SpencerAbigail Spencer), uma amiga "colorida" de Harvey.

Entre trabalho e prazer Harvey (com a ajuda de Mike) descobre que na verdade Veag não quer uma fusão e sim comprar os hóteis de Debeque, Scott convenceu Vega que ele é muito impulsivo. Mas Harvey reunem todos e e diz que os dois devem fazer uma fusão como queria, pois, a outra forma não beneficiará ninguém. Scott é demitida da conta e ainda conta a Harvey que vai casar e para minha surpresa ele fica abalado, ele é como Barney de How I Met Your Mother, gosta de pegar todas, mas quando sabe que não vai conseguir ficar mais com uma deles, é por essa que ele mais se interessa.


A outra situação (mais importante) foi com Mike participando de uma simulação de julgamento, onde Jéssica é a juíza. Confesso que fazia um tempo que eu não ria tanto quanto ri ao ver Donna (Sarah Rafferty) interpretando a dona da empresa que foi ridicularizada por uma de suas funcionárias, ela roubou completamente a cena (principalmente na cena que ela consegue chorar de um lado do olho). Era a grande oportunidade de Mike deixar sua marca. É claro que Louis (Rick Hoffman) fez com que Mike fosse oponente de Kyle. Mais uma vez percebemos a ingenuidade de Mike, alguém tinha alguma dúvida de que o seu rival aceitaria tão facilmente aquele acordo? Pois eu não!

Após quase ter perdido na primeira parte do simulado, ele se recupera e aceitando o conselho de Donna ele vai chamar alguém bonita como testemunha, claro que só tem uma pessoa a chamar: Jenny (Vanessa Ray). Ele lhe conta tudo e ela o ajuda. Entre Rachel e Jenny eu optou por esta último, ela e Mike são tão fofos juntos e ela o ajudou bastante neste episódio. E depois de conhecer Jenny, deu pra sentir que Rachel ficou com ciúme.


A segunda parte do julgamento evidenciava que a vitória de Mike seria questão de tempo, Harvey até dá algumas dicas. E quanto chegou a hora de acabar com Rachel no interrogatório, ele fica com pena e pega leve, perdendo assim o caso. Acho que ninguém ficou mais decpicionado que Harvey, pois ele desistiu de um caso praticamente ganho para defender os sentimentos de Rachel. Gostei do discurso dele a Harvey dizendo que esta se decindo que tipo de homem ele quer ser e não só advogada. Confesso que meu coração ficou partido quando Jessica disse que ingenuidade e coração mole são duas qualidades que não servem para trabalhar lá! Essa doeu.

Ob: Temos referências de dois filmes neste episódio Karate kid (quando Mike chama Harvey de sensei) e Star Trek (quando Harvey diz kobayashi maru à Mike ). Mal vejo a hora de assistir ao próximo episódio! Até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB