''Guerra Mundial Z'' Resenha

28 de mai de 2013


Levou um tempo, mas finalmente criei coragem para escrever a respeito de um dos melhores livros sobre Zumbis atualmente. Max Brooks, consegue de forma fácil e irreverente, criar um mundo fictício e ao mesmo tempo algo tao real que nos levar a crer o quanto isso realmente pode vir a acontecer.

Spoilers.. caso você ainda não tenha lido o livro. 


Não sei como será o filme, mas o livro se baseia em uma série de entrevistas feitas por um americano, contendo relatos de pessoas ao redor do mundo. 

Em vários capítulos, fica claro que a origem de toda a infestação teve início na China e o paciente zero foi um menino de 12 anos. O melhor do livro é que o autor consegue usar da essência humana para projetar o que os governos e as pessoas fariam nesse cenário. 

Alguns governos tentam erradicar de forma rápida e outros tentam abafar tudo e deixar que apenas a força local se livrem da praga. Já as pessoas, mesmo sendo infectados acreditam que existe alguma cura em algum lugar, e com isso eles entram ilegalmente em outros países por aviões, navios ou carros. E ainda há aqueles religiosos que acreditam que os zumbis ainda possuem lembranças de sua vida anterior ou que possam ser domesticados. 

Inicialmente a mídia passa a ideia de ser um tipo de raiva africana, ai algum idiota cria uma vacina e até purificadores de ar para que as pessoas se sintam seguras, ganhando rios de dinheiro. E é claro que não ajuda ninguém. 

Como não podia faltar até o brasil é incluído na história, algo que nunca passou pela minha cabeça, imagine o seguinte, você precisa de um transplante, digamos de coração, aí você consegue os melhores médicos, no melhor hospital e um coração em condições perfeitas. Tudo parece bom certo? Mas e se esse coração vier de alguem infectado? De alguém que talvez ainda não apresentasse nenhum sinal da doença? O que aconteceria com a pessoa que recebesse o coração? No livro a pessoa nem volta da cirurgia e o pior ainda mata um dos médicos! 

Israel é o primeiro país a declarar quarentena volutária e convida palestinos a entrem para se protegerem. Eles também são os primeiros a usarem cães como medida de segurança, já que eles sentem e ficam loucos na presença de alguém infectado; E de todos os relatos percebemos que os Estados Unidos foi o que mais escondeu, mentiu e sofreu por causa disso, mesmo tendo tanto armamento. Como em qualquer desastre sempre tem aqueles que descobrem, criam relatórios e planos de contingência, mas esses relatórios só são utilizados tarde demais. 

Um cara considerado louco, criador do plano para que os seres vivos ganhassem a guerra foi Paul Redekker, que no final acabou ficando louco. Ele diz em determinado trecho ''Primeiramente, não é possível salvarmos a todos. As regiões afetadas estão grandes demais (tradução livre)''. Ele determina que devem ser criados ''safe zones'' para a população, não só para proteger o povo, mas dessa forma eles seriam iscas e os zumbis sempre estariam perto tentando entrar, facilitando assim a limpeza da área. 

E ao final da guerra sobra os efeitos psicológicos nas pessoas, a taxa alta de suicídio, pessoas que ficaram loucas e ainda os zumbis que aparecem de vez em quando vindo da água ou do gelo. Há também adolescentes chamados ferals, que cresceram nessa guerra sozinhos e não conhecem nada de bom e agem como animais selvagens. E ainda alguns sobreviventes que mais se parecem com zumbis, pois andam devagar e até fazem os mesmos gemidos que eles. 

O livro é muito bem desenvolvido e tenta mostar os erros cometidos antes da guerra que ficou conhecida como Guerra Mundial Z esperando que isso seja uma forma de educar a todos caso isso realmente venha a acontecer. Gostei e recomendo, só espero que o filme seja pelo menos 50% do que é o livro.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB