‘Strange Days on Planet Earth’, entrevista com Edward Norton

28 de mai de 2009


Aqui vai uma entrevista com Edward Norton que eu encontrei no press kit da Strange Days on Planet Earth.

Q: No que o tema da National Geographic Channel, ‘Strange Days on Planet Earth’ te chamou atenção para este projeto?

Edward Norton: Eu sempre tive um interesse amplo em questões ambientais e aumentar nosso conhecimento geral sobre o interligação de vida. Este show explora a base cientifica por de trás do velho principio de que quando uma borboleta bate suas asas na China, ela cria um furacão na África.

Q: Você esta vendo cada vez mais um tipo de tendência entre a comunidade ambiental e a comunidade hollywoodiana se misturando?

Edward Norton: Claro, mas eu não acho exclusivamente. Eu penso que de algum modo esta havendo um lento crescimento da maré de consciência no público americano desde os dias de David Brauer e o começo do Sierra Club, ou até mesmo há um tempo atrás de John Muir. Eu acho que através do último século tem havido um crescimento, de entendimento profundo do nosso impacto sob isso e sobre gerenciamento do meio ambiente. Acredito que nos últimos 20 anos isso vem estado em foco à medida que a radioatividade do nosso modo de vida industrial começou a influenciar mais pessoas. Acho que isso está penetrando na consciência de muitas pessoas, não só no comunidade do entretenimento. As pessoas estão confrontando esta realidade e, eu acho, com a exceção de regressão atual da administração, no geral isso esta se tornando uma coisa bipartidária e não só de um ângulo liberal. Você tem pessoas como John McCain e outras de liderança bastante progressivas conservadoristas que estão igualmente concentradas nas questões ambientais. Eu acho que a curta resposta para sua pergunta é que a consciência ambiental é algo que esta começando a penetrar em muitos níveis diferentes e em muitas comunidades diferentes.

Q: E quanto a ‘state of the environment*’, em particular, você acha que isso te desencoraja?

Edward Norton: Eu acho que estamos atrás de onde devemos estar em termos de sustentabilidade da maneira de vida. Há certos passos, ou pontos, que eu acho que são dirigidos de uma forma muito interessante. Nós talvez sejamos abordados rapidamente com desastres em nosso ecossistema do qual nós não nos recuperaremos, não somente em nosso tempo de vida, mas dos nossos filhos e netos. Isso é um tanto assustador.


Q: Quais sinais há para que haja esperança de fato lá fora? 

Edward Norton: As sequências em alguns niveis dirigem-se nesta questão. O quanto mais a ciência revelar do caráter integrado da biosfera da terra e ecossistema, mais efetivamente nós poderemos nos dirigir a algumas das causas não reveladas. Também, eu vejo um grande trabalho sendo feito por toda parte. Eu venho de uma família de ativistas. Meu pai tem uma carreira como ambientalista profissional. Ele é o diretor de um programa na China, ‘Nature Conservancy’. Numa base per capita, os Estados Unidos é o pior contaminador ambiental do mundo, Mas a China também esta lá em cima. Ela vem sido caracterizada tradicionalmente como um lugar com pouca consciência ambiental. Meu pai foi à China muito céptico em relação à qual seria o real nível de apoio para o gerenciamento de preservação. Mais ele tem estado impressionado ao nível de sofisticação cientifica e o apoio real do governo para os modelos de gerenciamento de conservação dos prédios. Isso é demais, e te faz pensar que são possíveis muitas mudanças positivas.

Q: O que você que atraiu você e sua família para as questões ambientais com passar dos anos?

Edward Norton: Foi uma paixão muito antiga do meu pai; ele era um grande entusiasta pela natureza e ele era um advogado por treinamento. Ele era um promotor público e quando ele deixou aquele mundo, ele era o mais importante da ordem pública do ‘the Wilderness Society’ nos anos 80, lutando naquela época todas aquelas batalhas contra James Watt e a EPA. Tudo isso durante minha adolescência, aquela era seu trabalho e carreira; ele co-fundou o ‘Grand Canyon Trust’, este que é principal grupo de advocacia regional do Planalto do Colorado sobre questões ambientais. Ele tem sido imensamente eficaz e um defensor inovador do meio ambiente. Meu irmão e eu passamos nossas férias trabalhando para reserva ecologia do Grand Canyon. Minha irmã já viajou por todo o mundo e está agora estudando na universidade o curso de políticas ambientais internacionais. Isso faz parte de onde nós crescemos.

Q: Vindo de uma formação de ambientalistas, como você seguiu em atuar?

Edward Norton: Atuar é algo que eu sempre fiz na minha vida toda. Esta sempre foi a carreira em que eu me focava. Não é um emprego co horário das 9h até as 17h, e eu sou sortudo nesse sentido. Eu consigo grandes pedaços de tempo entre projetos do que algumas pessoas conseguem em seus empregos diários. Isso me deixa livre para ir atrás de uma mistura eclética de outras coisas, e quando você pode usar seu talentos ou instintos de uma narrativa ou script para um projeto como [‘Strange Days on Planet Earth’ da National Geographic Channel ] o projeto que tem uma intenção diferente, não ambiental, mas uma intenção educacional, é muito legal. Isso é uma maneira divertida de integrar diferentes lados do seu interesse.

Q: Eu li que Larry King declarou que ele seguiria seu exemplo e iria instalar painéis solares em sua casa.

Edward Norton: Eu comecei um programa ao qual a companhia BP Solar aceitou que toda vez que uma celebridade ou líder político de qualquer área comprar um sistema solar para suas casas através do programa, BP doará um sistema adequado para uma família de baixa renda através de uma fundação de habitação com a qual eu trabalho. Nós estamos no primeiro ano do programa e, eu falei sobre isso no programa do Larry King. Larry concordou em se juntar ao programa, e ele vai receber um sistema solar em sua casa.

Q: Então, ele está seguindo direito?

Edward Norton: Ele está seguindo direitinho. Yeah ele está realmente fazendo isso.

Q: Supondo que você possa dirigir qualquer carro lá fora agora, você poderia falar sobre as vantagens de dirigir um carro híbrido?

Edward Norton: Eu moro em Nova Iorque, então eu não tenho um carro propriamente dito, mas eu também tenho uma casa em Los Angeles e quando eu estou filmando lá por curtos períodos de tempo, eu encontrei um lugar que aluga carros híbridos. Eu acho que em um nível de impacto ambiental, híbridos são obviamente mais positivos. Eles são tão bons quanto qualquer outro, exceto do Porsche. Se você pensar a respeito, com o preço do gás subindo do jeito que esta, ninguém ultimamente vai comprar esse tipo de carro porque polue menos, eles vão comprar porque, com o galão à $2.50, o carro vai faze-los economizar de 3 a 4 mil dólares por ano, em gás. E é realmente interessante ver a tecnologia alcançar o ponto onde as companhias de carro e a companhia de óleo não têm escolha.

*state of the environment é o conceito que se refere a uma análise das tendências no ambiente de um determinado lugar. Esta analise pode incluir aspectos como pro exemplo: qualidade da água, ar, uso da terra, a saúde do ecossistema e função.

Fonte:
http://blog.lowyat.net/wernshen/?tag=edward-norton

0 comentários:

Postar um comentário

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB